Critérios de Avaliação

Notas por Critério

Ambientação
Campanha
Jogabilidade
Áudio
Diversão

Notas por Plataforma

Plataforma Nota Distribuição
NS Nintendo Switch
10
4
1
Exibir plataformas sem nota

Análises (3)

Avalie o jogo para escrever uma análise

  • Foto de Felipe Heidor Felipe Heidor
    no
    NS
    há 9 meses

    O jogo é incrível. Os novos elementos de gameplay melhoram e revigoram a resolução de puzzles, os novos cenários são de tirar o fôlego e a sensação de descoberta e aventura, tão importante em Breath, se faz melhor ainda em Tears. O jogo mantém todos os acertos do seu antecessor e ainda melhora em diversos pontos, lapidando a perfeição. Segue tendo algumas semelhanças com o último título que incomodarão certas pessoas, visto que Majora`s Mask, sequência de Ocarina of Time, toma uma direção oposta a seu antecessor, tanto em atmosfera quanto em gameplay. Porém, isso não necessariamente tira o mérito de Tears, já que melhorar o jogo anterior introduzindo história nova e mecânicas novas, mirando em melhorar o que o último jogo fez, é o comum para jogos em geral fazerem, vide Uncharted 2, Jedi Survivor e Assassin`s Creed 2. O único ponto que poderia ser melhor é o gráfico. O switch não aguenta rodar tão bem três cenários tão diferentes, ocorrendo queda de frames que por vezes prejudicam a experiência. Ainda considerando essa falha, o jogo é simplesmente sensacional. Um dos maiores acertos de uma das maiores franquias do mundo dos games.

  • Foto de Bruno Beloti Bruno Beloti
    no
    NS
    há 8 meses

    O Breath of The Wild foi incrível e aparentemente uma continuação não iria conseguir superar, esse além de superar ficou parecendo que o primeiro foi um treino para esse, já joguei mais de 100 horas e não me canso de jogar, o jogo está incrível, vale muito, mas muito a pena.

  • Foto de Shady Morte Shady Morte
    no
    NS
    há 9 meses

    O jogo é bom, mas não tem novidades, tirando um mapa grande com três camadas diferentes (Céu, Superfície e Subsolo) e uma mecânica de construção pouco inventiva. O jogo não tem nada de especial, e repete a fórmula criada em Breath of the Wild, com direito ao mesmo modelo de exploração, o mesmo formato de campanha, e a exata mesma jogabilidade, além de um visual pouco melhorado (ainda mais considerando a diferença de datas entre os dois lançamentos). Sua trilha sonora é serena e sutil assim como seu antecessor, com poucos acordes novos notáveis. O jogo é desnecessariamente longo, e dificultoso, com pouco (e as vezes nenhum) direcionamento, e ausência completa de equilíbrio em batalhas. Todos os inimigos, até mesmo os mais fracos, são absurdamente letais, e as missões são pouco diversificadas, resumindo-se a tarefas de Rastreio, Coleta ou Combate, repetindo-se com diferentes roupagens. A campanha é simplória, pouco criativa e mal conduzida. Porém, ele pode divertir caso goste de andar e explorar sem ter pra onde ir. Escrevi uma análise completa em meu site: Https://www.divulgantemorte.com/2023/05/analisemorte-legend-of-zelda-tears-of.html

Discussões

Seja o primeiro a criar uma discussão

Entre no nosso servidor do Discord