• CS:GO, esse é o nome do game que desde 2012 ainda se mantém no topo(ou quase o topo) até hoje, uma continuação de uma franquia histórica que prendia até os mais despretensiosos nas lan houses de todo o Brasil. Falando primeiramente do visual do game e da sua construção, acredito que por mais que CS:GO tenha crédito por ser um pouco velho(além de competitivo), a qualidade das texturas e efeitos podiam ser um pouco mais trabalhadas, além disso, alguns poucos reworks de mapas também me deixaram um pouco irritado com o jogo, ainda assim, como eu disse, o game tem seu crédito, tirando estes pequenos problemas CS:GO é muito bem acabado. Se tratando do áudio do jogo, sempre senti falta de uma dublagem PT-BR, como já tem em outros FPS’s, além disso a trilha sonora do menu é bem chatinha, mesmo assim se tratando de um jogo FPS, o som espacial(que é o que importa) está muito bem feito. Já a jogabilidade, simplesmente não tem o que reclamar, o padrão dos jogos FPS muito bem feito, tudo é perfeito, desde as configurações da retícula de mira, o tempo de resposta, a simplicidade em jogar, etc. Acredito também que outro ponto crucial não do CS:GO em si, mas sim de toda sua franquia é sua autenticidade, de fato se não fosse o Counter Strike, dificilmente teríamos os jogos de tiro em primeira pessoa como conhecemos hoje. Fazendo um apanhado de tudo, ressalto aqui minha opinião de que o CS é o verdadeiro pai dos FPS’s, infelizmente um problema crônico que ainda perdura desde os princípios desse game são os cheaters, acredito que com a inclusão do Prime, melhorou bastante toda essa questão, mas ainda continua muito longe do ideal, fazer o que né? paciência.

  • Capa de Seaquest Seaquest
    no
    And
    há 1 ano

    Seaquest, um dos primeiros games com um tema marítimo/aquático da história, um jogo que por mais que não tenha sido uma febre de sua geração, em geral, foi um game bem bacana. Começando agora de fato a análise, vamos falar sobre a jogabilidade de Seaquest, que por mais que não tenha sido inovador no seus comandos, e tenha basicamente feito uma cópia dos controles do chopper command, foi um game basicamente perfeito nesse quesito, além disso, outros importantes pontos que podem ser citados, é a movimentabilidade e o input lag do jogo, onde ambos estavam perfeitos. Diferentemente da jogabilidade, na parte sonora, temos um cenário muito raso, onde, por mais que algum efeito sonoro ou outro tenha uma qualidade aceitável, o áudio de maneira geral, infelizmente é péssimo. Já na parte visual do seaquest, temos uma grande apresentação, que conta com um ambiente 2D e efeitos gráficos montados de maneira ímpar, mesmo assim, acredito que o game podia ser um pouco mais colorido, pois me pareceu um pouco “fosco” as vezes, apesar disso, sem dúvidas nenhuma, gráficos, de uma maneira geral, são um ponto forte deste game. Agora, saindo dos critérios mais técnicos sobre o jogo, vou falar como foi a experiência que tive com o game, que mesmo não sendo nenhum jogo brilhante ou inovador, pois como falei, diversos games naquela época, como o Galaga(até certo ponto) e o Chopper Command já tinham ´´inaugurado`` esse gênero(Shoot 'em up), o game é bem montado, e tive uma jogatina bacana com o mesmo. Agora, concluindo tudo o que foi dito, fica claro o porque desse jogo não ter virado um ícone do atari, pois o game por mais que tenha suas qualidades, não teve um “brilho” ou diferencial na sua gameplay, por isso foi “esquecido”, e no fim das contas, ficou na história apenas como mais um game comum.

  • Capa de Clash of Clans Clash of Clans
    no
    And
    há 1 ano

    Para os que hoje são fãs de call of duty Mobile, PUBG ou o famigerado Free Fire, saibam que o crescimento do mundo gamer mobile só foi possível por esse game aqui, o Clash of Clans, que por mais que tenha tido seus defeitos, sua importância nunca deixará de ser histórica. Primeiramente falando de um ponto que cerca um dos defeitos do jogo, vamos tratar da parte visual de Clash of Clans, que infelizmente, parou no tempo, onde os gráficos de hoje em dia basicamente são os mesmos de 2012(quando o jogo foi lançado), eu sei que o jogo é designado principalmente para aparelhos menos potentes, mas o nível é realmente muito baixo, a grande presença de serrilhados, de texturas mal feitas, junto com a tentativa de um gráfico mais “infantilizado”, no final, o que teve-se de resultado foi um visual mal acabado. Se tratando da parte sonora, felizmente temos algo mais agradável do que na parte gráfica, temos uma trilha sonora perfeita, além de um som ambiente que por mais que seja um pouco simplista, com certeza não decepciona nem um pouco, acho que o maior defeito nesse ponto fica por conta da dublagem inexistente, que mesmo que se fosse super simples ia dar uma boa encorpada no aspecto auditivo do game, ainda assim, no geral, esse Clash é um bom jogo se tratando desse critério(áudio). Chegando no campo da jogabilidade agora, achei a mesma bem consistente, controles simples e autossuficientes para o game, além de um tempo de resposta muito bom(principalmente se tratando de um game mobile, que normalmente o usuário utiliza dados móveis de baixa performance para jogar), acho que o que ficou como maior defeito neste âmbito foi a parte da fluidez do jogo, que mesmo rodando em altas taxas de quadros, tem movimentos muito “travados”, o que, vez ou outra, atrapalha um pouco a gameplay. Bem, como visto acima, Clash of clans não é um dos melhores games mobile quando avaliado por critérios mais técnicos, mas vai por mim, sua diversão é sem igual, um game que consegue entreter de forma singular, não à toa, que meses depois de lançado virou uma febre total na plataforma mobile, com modos bastante “arrojados” como guerra de clãs, tropas inovadoras e uma mecânica impecável, ainda assim, como nem tudo é flores, a Supercell deixa a desejar em um quesito principal se tratando do Clash of Clans(e até outros jogo da companhia), ao qual é o extremo “pay to win” do jogo, uma tática muito chata que vem “infectando” os games competitivos de hoje em dia e que no caso do Clash, caso você seja um jogador que queira se comprometer mais ao game e que de fato queira crescer no jogo, se prepare… sem microtransações você definitivamente não vai conseguir. Finalizando aqui este review, acho que podemos concluir que Clash of Clans é aquele famoso jogo mediano que encanta muito quem joga, acredito que qualquer um que passe um tempinho no mobile sabe da importância desse game, mesmo com seus grandes defeitos, hoje em dia ainda recomendo esse game a qualquer um que curte uma jogatina mobile.

  • Capa de Hay Day Hay Day
    no
    And
    há 1 ano

    Hay Day, o game "fazendinha" da SuperCell, que em 2012 virou uma febre como um daqueles ´´joguinhos do Facebook``, mas será que analisando friamente o jogo, e levando em conta a escassez desse estilo no mercado(na época), será que era mesmo para tanto? Bem, Vamos descobrir! Analisando primeiramente a parte da gameplay de Hay Day, realmente os resultados são de se alegrar muito, pois a mesma(jogabilidade) é bem fácil e divertida, exatamente o que se precisa para um game como esse, com aquele estilo mais casual, e principalmente, mobile. Já na parte visual do jogo, por mais que o jogo não tenha a proposta de ser aqueles games mobiles incríveis, com gráficos impressionantes, eu gostei bastante da ambientação do game feita naquele estilo ´´visto de cima``, que a SuperCell é especialista, ainda assim, creio que o jogo parece que estagnou em 2012, algumas texturas, serrilhados e efeitos chegam a ser toscos, eu sei que o game é feito para ser super leve, mas tudo tem limite! o game precisa imediatamente de algumas correções gráficas pontuais. Partindo para a questão do áudio de Hay Day, achei bem bacana, a trilha sonora por exemplo, foi feita com um violão em uma melodia bem característica de músicas rurais, portanto gostei muito, além disso os efeitos sonoros são todos muito bem feitos também, sons muito bem produzidos, ainda assim, acho que para o jogo ficar ainda mais legal podia ter colocado um cara como NPC, que mostrasse o jogo(ou seja, que mostrasse os tutorias, ensinasse as mecânicas e tudo mais) com uma voz de ´´caipira``, acho que ia ser uma marca registrada do HayDay(mais ou menos como o Dave ´´Locão`` é pro Plants vs Zombie), contudo acho que para esse game, isso é ser visionário demais. Falando da minha jogatina com HayDay, particularmente falando não é um jogo muito divertido, chegando a ser monótono depois de 2 ou 3 semanas com o game, acredito que esse jogo é feito para quem realmente ama muito esse estilo(fazenda) e que quer levar ele pra qualquer canto que estiver, pois o jogo é realmente bem único nessa questão(casualidade/mobilidade). Outro ponto que eu acredito que afasta quem já não é muito fã desse estilo do HayDay é o ´´Pay to Win`` escancarado do mesmo, para quem vai jogar aqueles modos multiplayers(de quem produz mais hortaliça em determinado tempo, quem pesca mais em determinado tempo e etc.) simplesmente é impossível ser competitivo sem não tirar uma grana do bolso(uma boa grana, ainda por cima), mas se tratando da SuperCell, realmente eu não esperava algo tão diferente, lamentável! Bem, finalizando a análise de HayDay, acredito que deixei claro que o jogo, mesmo com seus problemas, é um bom jogo e realmente recomendo para quem estiver de bobeira dá uma testada nele, ainda assim, gostaria de frisar aqui que esse é o tipo de jogo feito para entusiasta, portanto se você gosta mesmo desse tema(rural), aí que eu recomendo mesmo esse game, pois é de longe, a melhor opção do mercado atualmente.

Ler todas as análises (27)

Entre no nosso servidor do Discord